Foto: Gabriel Facchin Dotto/ECSA

A temporada do Cianorte é de altos e baixos, e isso ninguém pode negar. De sensação do campeonato paranaense no começo da competição, a quase eliminado ainda na primeira fase do certame, o Cianorte chegou na Série D de maneira tímida e curiosa, foram cinco empates consecutivos e 6 jogos sem vencer na competição. A partir da 7ª rodada, o “jogo virou” para o time do noroeste paranaense. Desde então, são três vitórias e um empate, que somados aos outros cinco das primeiras rodadas, dá a 3º colocação no Grupo A7, com 15 pontos ao Leão do Vale.

Nessa campanha se vale destacar a perseverança, insistência e confiança da diretoria com o técnico João Burse, que está a frente da equipe desde o começo de 2020. Depois de eliminado de maneira constrangedora nas quartas do paranaense, e engatar seis jogos sem vencer na Série D, o Cianorte resolveu ainda assim, manter o jovem treinador, e a estratégia deu certo. Para dificultar ainda mais, o Cianorte é o único representante do sul, em um grupo formado por clubes de São Paulo e Rio de Janeiro, o que demanda viagens mais longas, e um possível cansaço ainda maior, mas isso não tem se mostrado tão prejudicial a equipe. Hoje o time é um sólido integrante do G4 do Grupo A7, dois pontos a frente do primeiro time fora da zona de classificação, o Madureira, e quatro atrás da líder do grupo, a Portuguesa.

O Madureira inclusive é o próximo desafio do Leão do Vale, que vai até o Rio de Janeiro, no Estádio Aniceto Moscoso, para um confronto direto com o time carioca. O Madureira foi o um dos times que empatou com o Cianorte naquela sequência no inicio da competição. Uma vitória deixa o time paranaense com 5 pontos de vantagem para o Madureira e uma vaga encaminhada na próxima fase da competição nacional.