Azuriz está no caminho, mas precisa adequar algumas coisas para 2023

Foto: Ale Vianna/Azuriz

O ano de 2022 do Azuriz foi repleto de altos e baixos. E o clube pagou caro por isso. A eliminação na Série D no último sábado (31), para o São Bernardo, deixou a equipe de Pato Branco com calendário profissional limitado ao Paranaense para 2023. O principal ponto a se observar é a aposta em um planejamento diferente no começo do ano, que trouxe consequências para o time.

Com um calendário mais curto, o Azuriz deve apostar todas as fichas no Paranaense, que terá uma luta ferrenha pelas vagas da Série D. Além do próprio Azuriz, Cascavel, Maringá, Cianorte, São Joseense e o recém promovido Aruko, chegam como fortes concorrentes pelas três vagas para a competição nacional.

O ponto a se corrigir aqui, é não tratar o estadual como um laboratório, que foi o que fez o clube em 2022. O teste de Celso Martins no começo do ano não deu certo, e deixou esse buraco no calendário do time de Pato Branco.

Ir atrás de jogadores de Série B e C nesta temporada não deve ser tão fácil para o time patobranquense, como foi em 2022, devido as competições que o clube disputará, por isso, a criatividade no mercado deverá ser grande.

Acredito também que Daitx deve ser mantido por mais um ano no cargo. O treinador já criou uma identidade para o clube de Pato Branco, e abandonar esse estilo de jogo não deve ser fácil neste momento. São três meses de estadual, e creio que Daitx é o cara certo pra conseguir colocar o Azuriz novamente nas competições nacionais em 2024.

Não deve acontecer no próximo ano, devido ao calendário curto, mas o Azuriz também teve uma dificuldade danada em manter jogadores que se destacaram por ali. Vários deixaram o clube durante a caminhada na D. Nem só de dinheiro vive o futebol, não é mesmo?

Por fim, vale dizer uma frase que sempre levo comigo: “o futebol não tolera desaforo”. Houve um erro grande do Azuriz em poupar nas últimas rodadas da fase de grupo achando que estava tudo encaminhado. Não estava. O time pagou e enfrentou o pior adversário possível, e por isso caiu precocemente na competição. O clube tinha condições de ir mais longe, mas por uma bobeira parou na 2ª fase. Como é o primeiro ano na competição, dá pra perdoar, mas o perdão não vai fazer a classificação voltar.

Agora é hora de se reorganizar e pensar em 2023. O Azuriz está no caminho certo, mas ainda falta algo a mais.

Bruno Rodrigo
Jornalista formado pela Univel. Repórter no Grupo Tarobá de Comunicação e co-fundador do De Prima PR.

Artigos Relacionados

Últimos Artigos