Campeonato Paranaense Feminino começa neste domingo

Começa no próximo domingo (28), o Campeonato Paranaense Feminino de 2022. Seis equipes disputarão o título estadual em um campeonato de tiro curto, com turno, returno e final entre as duas melhores equipes dos pontos corridos.

Entre os participantes temos os dois gigantes do futebol paranaense, Athletico e Coritiba; o sempre muito forte no futebol feminino, Toledo; o centenário Rio Branco de Paranaguá, que se aventura pela primeira vez na categoria; o retorno do Foz do Iguaçu, campeão paranaense feminino de 2009 e vice-campeão de 2013; e o caçulinha Sobi São Braz, que disputa a 2ª divisão da Suburbana de Curitiba e disputará pela primeira vez o estadual feminino.

O Campeonato Paranaense, além de dar o título, também classifica para a Série A3 do Brasileirão Feminino. Normalmente uma vaga é destinada ao Paraná, mas devido a desistências de outros estados, mais equipes podem ser convocadas para a competição. Na Série A3 de 2022, Toledo e Coritiba/Imperial se enfrentaram logo no primeiro mata-mata, e quem levou a melhor foi o time do Oeste Paranaense.

Confira como chega cada equipe e como estão os projetos para o futebol feminino no Paraná:

Athletico

Athletico vai em busca do tricampeonato (Foto: José Tramontin/athletico.com.br)

Principal equipe do estado atualmente, o Athletico também é o único clube do Paraná que disputa a Série A2 do Brasileirão Feminino. No ano passado o time bateu na trave, perdendo o acesso para a Série A1 nos pênaltis, contra o Red Bull Bragantino.

No Paranaense, o Furacão chega como principal candidato ao título. A equipe é a atual bi-campeã da categoria e vem em busca de mais um título estadual.

Mesmo priorizando a Série A2 do Brasileiro, o time deve ter certa tranquilidade no Paranaense, devido a disparidade de elenco em relação as outras equipes.

Coritiba

Coxa firmou parceria com o Imperial (Foto: Coritiba)

Apesar do nome forte, o Coritiba deve ter um dos times mais frágeis do Paranaense feminino. A equipe firmou parceria com o Imperial, que disputou várias edições anteriores, mas o elenco é limitado e quase todo disponibilizado pela equipe parceira do Coxa.

O time alviverde, inclusive, não costuma dar muita atenção ao futebol feminino, e sempre que precisa disputar a categoria por conta da obrigatoriedade da 1ª divisão do brasileiro masculino, compete por meio de parcerias.

No passado, essa cooperação era com o Toledo, agora o Coxa encontrou um parceiro mais próximo, o Imperial.

Foz do Iguaçu

Foz retorna ao futebol feminino após vários anos (Foto: Abel da Banca/Foz do Iguaçu)

Campeão em 2009, o Foz do Iguaçu volta a representar a terra das cataratas no Paranaense Feminino. Ofuscado pelo Foz Cataratas na categoria depois de 2010, o Azulão da Fronteira seguiu durante vários anos fazendo futebol feminino, mas sem tanto destaque.

Desde 2014 sem equipe na categoria, o Foz se aproveita do retorno do futebol profissional masculino para também retornar no futebol feminino. Com o encerramento das atividades do Foz Cataratas, o Azulão assume o protagonismo da categoria na fronteira.

A expectativa, no entanto, não é muito grande. O time busca conseguir uma vaga na Série A3 do ano que vem, mas deve brigar na parte mais baixa da tabela.

Rio Branco SC

Se aventurando em outras categorias além do futebol masculino, o Rio Branco começa a trilhar caminhos pelo futebol feminino.

Inserido no futsal desde o começo do ano, disputando a Série A3, o time de Paranaguá também decidiu investir nas meninas, e chega para brigar por um lugar ali no meio da tabela.

Será a primeira participação do Rio Branco no Paranaense feminino.

Sobi São Braz

Clube centenário de Curitiba, a Sociedade Operária e Beneficente Internacional São Braz disputa pela primeira vez o Paranaense Feminino.

O objetivo da equipe é dar oportunidade para atletas que não tem tanta visibilidade. Pensando em campeonato, o time não sonha alto e sabe das limitações que deve encontrar no Paranaense Feminino.

Toledo

Toledo chega como principal concorrente do Athletico ao título (Foto: Toledo EC)

Se tem uma equipe que pode acabar com a hegemonia do Athletico no futebol feminino do estado, essa equipe é o Toledo. Campeão Paranaense Feminino Sub-17, o TEC chega novamente como principal rival do Athletico na categoria.

O Toledo tem bons nomes, como a zagueira Paraguaia, que é integrante frequente da seleção de base do Paraguai, além de outras atletas relevantes como Simon, Pasin e Brenda. O time não contará com a estrela Jhonson, que foi liberada visando a preparação para a Copa do Mundo Sub-17.

Eliminado do Brasileiro A3 nas quartas de final, o TEC volta todas suas atenções ao Paranaense da modalidade.

Confira os confrontos da 1ª rodada:

31/07 – Rio Branco x Coritiba – Estádio Gigante do Itiberê – Paranaguá

31/07 – Foz do Iguaçu x Athletico – Estádio do ABC – Foz do Iguaçu

31/07 – SOBI São Braz x Toledo – Estádio Monte Bérico – Curitiba

Bruno Rodrigo
Jornalista formado pela Univel. Repórter no Grupo Tarobá de Comunicação e co-fundador do De Prima PR.

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos Artigos