DEU LIGA! Resumo da 10ª Rodada da LNF

Já fez o “L” hoje? (Foto: Edson Castro/Site LNF)

Olá amigos do De Prima, agora toda semana traremos Deu Liga! que será aquele Raio-X de cada rodada da Liga Nacional Futsal, a nossa querida LNF. O foco claramente serão os clubes do sudoeste e oeste do nosso estado.

Vamos fugir um pouco daquele leadzão maroto e famoso, então cada semana um texto diferente pra todos. Nessa por exemplo irei definir cada confronto com uma palavra-chave, afinal como diz a saudosa Cassia Eller “Palavras, apenas, palavras, pequenas… palavras”.

Então vem comigo:

ATLÂNTICO 4-3 CASCAVEL FUTSAL

Palavra-chave: DESATENÇÃO

Nosso Aureliaço velho de guerra resume essa palavra no seu dicionário como – falta de concentração; distração. E foi isso que vimos no atual campeão da Liga, não é de hoje essa preocupação em alguns momentos chaves.

Separei dois frames que traduzem um pouco esse jogo, o primeiro foi esse 4×2 praticamente dentro da área que saiu o terceiro gol do Atlântico.

Imagem: Reprodução Youtube NSports

E o lance de bola parada que decretou a vitória da equipe de Erechim, a bola foi exatamente no único jogador que estava pisando na entrada da pequena área. Uma desatenção que gerou o gol.

Imagem: Reprodução Youtube NSports

Na parte ofensiva criou-se bastante, gerando diversas chances de gol. Um volume ofensivo muito forte que já é característica do Cascavel, e com dois gols de tiro livre direto do Carlão (aliás linda homenagem ao nosso eterno Mangaba) ele segue pleno no topo da estatística da Liga.

Foto: Edson Castro/Site LNF

A freguesia do Tricolor paranaense perante o Atlântico segue firme.

MARECHAL 2-3 JOINVILLE

Palavra-chave: APRENDIZADO

O mês de maio se foi e deixou um pacote para o mês de junho levar para o nosso Marechal, a seca de vitórias. Segunda-feira rolou uma bem amarga com a equipe vencendo o Campo Mourão até a tal entrada do goleiro-linha que posteriormente gerou uma virada, e no sábado mais uma, desta vez para o Joinville.

Posso dizer que merecia melhor sorte na partida? Inegavelmente sim, fez uma boa partida dentro das suas condições, mas precisa saber que ao enfrentar equipes como a do Joinville, você precisa aproveitar todas as chances que te aparecem, e foram algumas várias desperdiçadas.

Assim como aprendizado foi a palavra do jogo de segunda, creio que esse de sábado também será. Sexta tem o Foz Cataratas e o que se espera é que dessa vez o aprendizado gere uma nota 10.

PATO FUTSAL 5-3 JARAGUÁ

Palavra-chave: DIVERSÃO

Tenho certeza que se perguntasse para qualquer torcedor que foi para o Dolivar Lavarda na manhã de domingo também definiria como diversão esse jogo.

De inicio a proposta era explorar o pivô com Sinoê e foi em uma dessas que o placar foi aberto, cobrança rápida de escanteio que chegou pra ele, girou, aproveitou o escorregão do defensor e guardou.

O Futsal é o esporte que a bola parada é exaustivamente treinada pois se não houver foco e atenção, ou você aproveita ou é surpreendido. No caso do Pato foi surpreendido (Ok lá vem o Carlos com os frames, prints…).

Repara na mãozinha do Sinôe indicando “olha, tem alguém livre por ali, presta atenção”.

O gol de empate sai exatamente por ali, jogada bem ensaiada e a bola surge tranquila (pensa a raiva dele depois desse gol).

Imagem: Reprodução Youtube NSports

A virada vem também em bola parada, naquela jogada já tradicional de cobrar escanteio com aquele passe em altura e alguém livre chega pegando de primeira.

O Pato segue na insistência da jogada de pivô que dá certo, e dessa vez com bola rolando, também numa jogadinha tradicional do nosso esporte, 1-2 no pivô (Dedezinho) que ajeitou pra chegada de Gregory, que mandou pro fundo das redes.

E ainda no primeiro tempo a virada vem com Gregory novamente em jogada ensaiada na cobrança de falta.

O Jaraguá usa muito o consagrado goleiro Tiago para explorar as costas da marcação com seus passes em profundidade, porém sem sucesso. O Pato ainda consegue ampliar e fechar a partida.

Duas viradas em apenas um tempo e jogo aberto para ambos os lados. Não falei que diversão é a palavra que definia essa partida? Para o torcedor do Jaraguá talvez não seja…

TUBARÃO 1-1 FOZ CATARATAS

Palavra-chave: TRANSIÇÃO

Essa palavra foi a tônica dessa partida já no fim da noite de domingo, um jogo com muitas transições ofensivas rápidas.

Apesar desse momento do dia trazer a ideia de melancolia, tristeza, o jogo foi o oposto. Diversas chances criadas por ambos os lados, o Tubarão explorando muito a defesa baixa do Foz Cataratas e indo para o 1×1 a todo momento com o jogador Rabisco.

Também poderia usar a palavra Goleiro, já que foram os nomes da partida. Essas diversas chances criadas pararam quase todas neles, e as que passaram tinham um pé salvador tirando quase na linha a chance do placar sair do empate.

Para a equipe da fronteira fica aquela sensação de “Poxa, eu podia mais”, isso ficará para a próxima. Sair desse limbo da classificação é a melhor coisa a se fazer para se sentir mais tranquilo.

CORINTHIANS 2-1 MARRECO

Palavra-chave: TROCAÇÃO  

Um ritmo alucinante acabou definindo a palavra que escolhi pra esse duelo, o Corinthians veio ligado no 220 logo no início do primeiro tempo, subindo pressão e ganhando todas. Como bem definiu o treinador do Marreco, Fabinho Gomes em uma parada técnica: “Na segunda bola estamos contando carneirinhos”.

Foram incontáveis os gols perdidos da equipe paulista no primeiro tempo que parou no goleiro Rennan Cabral, mas Deives aproveitou em uma bola parada achar uma brecha e abrir o marcador. Porém a bola parada que dá é também a que tira e com ela o Marreco empatou o jogo.

Segundo tempo foi de uma trocação pura e franca, o lá e cá insano, sufoco na marcação, e o golpe certeiro, aquele direto que derruba o adversário ficou por conta do Corinthians. Obviamente a contagem do juiz não chegou até dez e o time verde e preto tentou seguir na luta, mas no final na contagem geral deu Corinthians.

O time de Francisco Beltrão está ali no limbo da classificação, as vezes a sorte precisa caminhar junto, e um capricho também não faz mal a ninguém.

Ufa! Acho que é isso, jogos destrinchados, espero que tenham gostado, nos vemos na próxima semana!

Sou Carlos Alberto e qualquer dia, qualquer hora nos encontramos novamente!

 

*Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do site.

Carlos Alberto
Contador de histórias e ala-pivô de uma boyband esportiva.

Artigos Relacionados

Últimos Artigos