Tcheco sinaliza mudanças no time titular

O próximo destino do Cascavel é São Leopoldo, região metropolitana do Rio Grande do Sul. Uma distância de aproximadamente 774 km, segundo o Google. É em solos gaúchos, que a Serpente Aurinegra vai em busca da primeira vitória fora de casa.

Antes mesmo da bola rolar, Tcheco já tem problemas. O volante França fraturou os dedos do pé, e fica fora de combate por 15 a 20 dias. Outro desfalque certo é Tiago Luís. O meio-campista estreou contra o Marcílio Dias, em Itajaí, jogou por 5 minutos e saiu lesionado, por problemas musculares. Considerando o desfalque do volante França, Tcheco desenhou um possível Cascavel para o confronto diante do Índio Capilé.

“Estou entendendo melhor o time do Aimoré pra saber se podemos iniciar com um jogador um pouco mais defensivo na frente dos nossos zagueiros, ou colocar um jogador mais ofensivo. Vamos avaliar qual o melhor aspecto para nós, uma coisa que eu não gosto é fugir do nosso padrão, não abro mão disso. Tenho algumas dúvidas. Talvez o Rodrigo Alves (Pelezinho) inicie jogando, é um atleta que nos ajudou, mas temos algumas que vamos analisar”, disse Tcheco. 

Caso o treinador opte por preencher a vaga com um jogador mais defensivo, O volante Michel volta a ser titular. O camisa 17 entrou bem no duelo diante do São Luiz de Ijuí, e deu assistência para o terceiro gol da equipe, o gol da vitória, anotado de cabeça pelo zagueiro Jacy.

Se caso a mudança for no setor de ataque. Gama deve ser recuado como primeiro volante (atual função do França). Robinho fica centralizado – como um articulador – e Pelezinho aparece ao lado de Itaperuna e Lucas Batatinha. 

Mas segundo Tcheco a mudança só irá acontecer depois de uma boa análise no time do Aimoré – o Índio Capilé – terceiro colocado no grupo 8, com seis pontos. 

Sobre o Aimoré

O time do técnico Edson Rosa tem duas vitórias em três jogos, e vem de uma derrota para o Caxias, em um jogo de seis gols, que no final terminou em 4 a 2 para o Falcão Grená.

A derrota não abalou os planos do Aimoré, que quer a classificação para a próxima fase da competição, fato que seria inédito na história do clube. Em 2021, o Índio disputou a Série D pela primeira vez, inclusive, esteve no grupo do Cascavel.

Em dois jogos, o Cascavel venceu o primeiro, disputado em São Leopoldo, válido pelo primeiro turno, por 3 a 1, e no jogo do returno, as equipes empataram em 2 a 2.

Neste ano, o time gaúcho já garantiu vaga para a Série D de 2023. O destaque do Aimoré é um velho conhecido da torcida da Serpente. Wesley Pacheco que teve passagens pelo Cascavel na temporada de 2016 – atuando em 13 jogos, com um gol marcado –  é hoje um dos artilheiros do Índio, com três gols na temporada, o atacante divide a artilharia com o meia Adriano Klein, que também tem três gols.   

O técnico Tcheco projetou o duelo diante do Aimoré, e sabe das dificuldades que vai encontrar.

“Duelo difícil, até mesmo por se tratar de uma briga pela liderança. Nosso adversário vem de uma derrota, e dentro daquilo que imaginamos, eles vão tentar fazer prevalecer o mando de campo, o ano passado tivemos um bom retrospecto contra eles, mas era um outro momento, agora são outras peças também”, finalizou. 
Gabriel Porta
Estudante de jornalismo no Centro Universitário FAG. Redator no Jornal Gazeta do Paraná, editor de vídeo na TV Tarobá e co-fundador do De Prima PR.

Artigos Relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimos Artigos